terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Discussão entre colonos leva um à morte

Após discussão numa festa de aniversário em Palmares II, município de Parauapebas, entre os colonos José Natal de Araújo Silva, 44 anos, e Valdeci Avelino Vieira, de 49 anos, este último disparou um tiro no peito do primeiro, que morreu ainda no local.

O homicídio ocorreu por volta das 3 horas da madrugada desta segunda-feira (13), na esquina das ruaa Alberto Marciel e São João Batista, em  Palmares II, a 20 quilômetros do centro da cidade.

De acordo com informações colhidas pela reportagem junto à polícia e populares, horas antes do crime a vítima e acusado se envolveram numa discussão em uma festa de aniversário nas proximidades da praça do lugarejo.

O desentendimento teria ocorrido cedo da noite, mas não há detalhes do conteúdo da discussão e nem tão pouco o motivo que levou os dois a entrar em vias de fatos. José Natal foi encontrado morto a 50 metros da casa em que morava com a mulher e seis filhos menores de idade.

Ao lado do corpo foi encontrado um facão, mas não ficou confirmado se o mesmo pertencia à vítima ou ao homicida. (Caetano Silva/Waldyr Silva)

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Dupla executa três pessoas e fere duas em Canaã dos Carajás



A Polícia Civil está investigando para identificar e prender dois pistoleiros que executaram com disparos de arma de fogo três pessoas e feriram outras duas. A chacina ocorreu no início da noite de sexta-feira (10) por dois meliantes que estavam de capacete numa motocicleta, em Canaã dos Carajás.

A primeira vítima fatal foi Robson Silva Santos, 26 anos de idade, morto com disparos de arma de fogo na cabeça, por volta das 19h20, em frente à residência localizada na Rua Mogno nº 370, Bairro Estância Feliz, Canaã dos Carajás. Robson Santos tinha duas passagens pela polícia.

A segunda vítima foi Bruno de Oliveira Adriano, 20 anos, assassinado também com disparos de arma de fogo na cabeça, por volta das 19h45, na Rua José Pereira Costa, Bairro João Pintinho.

O adolescente Ednilson Eduardo Araújo Lopes, de 15 anos de idade, foi a terceira vítima assassinada por disparos de arma de fogo na cabeça, por volta das 20 horas, na Av. Brasil, Bairro Novo Brasil I.

As outras duas pessoas que sofreram atentado são Lucas Ribeiro de Jesus, 15 anos de idade, atingido de raspão por disparos de arma de fogo na cabeça, por volta das 19h30, na Rua Pedro Trindade, em frente ao Clube Samambaia, Bairro dos Maranhenses; e Cleuton da Silva Pires, 19 anos, por raspão de disparos de arma de fogo na cabeça, por volta das 20 horas, na Rua Círio de Nazaré, próximo à casa nº 1, Bairro Estância Feliz.

Segundo apurou o delegado Fabrício Andrade junto às vítimas que sobreviveram ao atentado, os criminosos as abordaram com a pergunta: “Vocês já foram presos?”. Mesmo negando, as vítimas eram alvejadas com tiros.

O delegado afirma que o disparo em dois homicídios poderia ser de uma mesma arma, já que os estojos de bala seriam idênticos, mas esta confirmação só será possível após análise científica.

As investigações começaram a ser feitas pelas imagens das câmeras de videomonitoramento da cidade e depoimentos das testemunhas e vítimas. “Este crime não ficará impune”, afirma o delegado Fabrício Andrade. (Wemerson Araújo/Waldyr Silva)

Mulheres de policiais fazem protesto no quartel da PM em Parauapebas

Um grupo de mulheres de policiais militares fez protesto na manhã desta sexta-feira (10) em frente ao quartel do 23º Batalhão da Polícia Militar em Parauapebas, reivindicando melhorias no salário para os esposos e determinando que somente 3 viaturas fossem liberadas para rota normal.

Em declarações prestadas à reportagem, o PM Jorge Silva disse esperar que as reivindicações das mulheres fossem pacíficas, um direito que assiste, “mas não podemos esquecer em momento algum que boa parte da população é prejudicada, pois depende da segurança pública”.

O policial militar acrescenta que o 23º BPM atende, além de Parauapebas, os municípios de Eldorado do Carajás, Curionópolis e Canaã dos Carajás, com um efetivo de 280 homens.

De acordo com Josy Silva, uma das esposas dos policiais, o movimento reivindica melhorias salariais, de condição de trabalho e equipamentos de segurança. “Estamos aqui dando apoio a outras mulheres que tiveram iniciativa, buscando melhores salários e melhores condições de trabalho para nossos esposos, pois a união faz a força e estamos todas aqui unidas”.

Na opinião de Rafaela Cavalcante, esposa de um PM, não só em Parauapebas, como em todo o Brasil, vem ocorrendo muita violência, e os policiais precisam de estabilidade, de equipamentos de segurança, de salários melhores e dignidade, “pois são eles que estão na rua para proteger a sociedade”, declarou, assegurando que nenhum policial ou viatura sairia do quartel, enquanto não tivessem alguma posição do governo.

Mesmo diante do protesto, foram liberadas três viaturas para fazer rotas na cidade. A manifestação teve fim por volta das 15 horas do mesmo dia, e o policiais militares voltaram a trabalhar normalmente. (Wemerson Araújo/Waldyr Silva)

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Filho agride pai e é preso pela polícia

A Polícia Civil prendeu no início da noite desta quinta-feira (9), no Bairro Palmares Sul, a 10 quilômetros do centro de Parauapebas, Antonio Alves de Morais Filho, acusado de ameaças e agressão contra o próprio pai, senhor Antonio Alves de Morais.

Segundo depoimento do delegado Erivaldo Campelo, por volta das 16h30 Antonio Alves (pai do agressor) foi surpreendido com a chegada do filho, que é deficiente auditivo e mudo, com uma garrafa de cachaça, altamente embriagado. A vítima afirma que orientou o filho a se retirar da casa, mas Antonio Filho não saiu e começou a gesticular que agrediria o pai dele.

A fim de evitar brigas, o pai se direcionou à residência da neta Tatiana Alves de Morais, mas minutos depois o agressor apareceu empunhando um facão e gesticulando ameaças de morte, foi quando Tatiana fechou o portão em sua cara. Mesmo assim, o agressor tentou acertar seu pai, falhando na tentativa e acertando o portão.

Pouco mais tarde, a vítima volta à sua casa, quando se depara com o quebra-quebra do agressor em sua residência, chegando a levar vários socos do mesmo. Para se defender, Antonio Alves pegou um pedaço de madeira e o golpeou por três vezes no braço.

O agressor foi preso em flagrante e será indiciado por lesão corporal e violência doméstica. (Wemerson Araújo/Waldyr Silva)

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Imagens de videomonitoramento flagram assassinato em via pública



Câmeras de segurança flagraram no início da noite desta sexta-feira (3) parte da ação de um homem que matou a tiros o motorista Jurandir Alves Feitosa, de 40 anos, no Bairro Cidade Nova, em Parauapebas.

A vítima foi assassinada dentro de um carro no momento em que deixava o local de trabalho, na Rua C. O atirador, um homem aparentando idade avançada, trajando camisa listrada e boné na cabeça, aparece escondendo uma arma sob a roupa. As imagens foram entregues à Polícia Civil para investigar o caso.

Segundo o tenente PM Nunes, Jurandir Feitosa havia acabado de entrar no carro, um Fiat Uno que estava estacionado em frente à sede da Defensoria Pública do Estado do Pará, quando foi alvejado.

Testemunhas disseram à polícia que avistaram uma motocicleta com placa amarela deixada na esquina da rua que pode ter sido utilizada pelo atirador para chegar ao local e posteriormente fugir.

A reportagem não conseguiu identificar familiares de Jurandir Feitosa no local para obter mais informações sobre o crime. (Vela Preta/Waldyr Silva)

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Espertalhão é preso acusado de vender rifa em nome da PM

A Polícia Militar prendeu na última sexta-feira (3) José Ramalho Lima de Sousa, 33 anos, e apresentou na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas, acusado de extorsão e estelionato.

De acordo com a denúncia, José Ramalho é residente em Belém e funcionário da Associação dos Oficiais Militares (PM/BM) da Reserva e Reformados do Estado do Pará (Amirpa) e estava vendendo em Parauapebas cartelas de uma rifa para um bingo de duas motos 0 km, uma Honda Biz e uma Fan, usando o nome do quartel da Polícia Militar em Parauapebas.

Em declarações prestadas à reportagem pelo delegado plantonista José Aquino, a acusado tentou oficializar o documento da rifa no quartel da PM, mas foi negado e ele conseguiu na Polícia Civil, usando o nome do quartel local e não de Belém, dizendo que o dinheiro arrecadado seria para a reforma do quartel local da PM.

Segundo apurou a polícia, ao oferecer as cartelas José Ramalho coagia seus clientes, caso não as comprassem, dizendo que a viatura iria deixar de realizar as rondas nas proximidades da residência ou comércio daquele cliente.

A façanha foi descoberta quando uma cliente procurou o quartel para esclarecer e pagar a cartela que havia comprado, momento em que pegou o comandante da PM de surpresa, pois ele não tinha conhecimento das vendas das rifas em nome do 23º Batalhão de Polícia Militar.

Por estar usando o nome do quartel de Parauapebas sem autorização, José Ramalho foi apresentado na delegacia e indiciado por estelionato, ficando à disposição da Justiça.

Procurado pela reportagem, José Ramalho negou ter usado o nome da polícia local, que estava acontecendo um equivoco e que tudo seria esclarecido. (Caetano Silva/Waldyr Silva)

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Assaltante é preso pela Rocam

Uma guarnição da Ronda Ostensiva com Apoio de Motos (Rocam), da Polícia Militar, composta pelo cabo Dias e os soldados William e Leal, prendeu no final da tarde de sábado (28) e apresentou na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas Thalison Santos da Hora, 19 anos de idade, natural de Parauapebas, acusado de momentos antes ter tomado de assalto um celular de um adolescente.

A detenção de Thalison Santos se deu quando a viatura da PM passava na Rua Duque de Caxias, no Bairro Rio Verde, e percebeu uma motocicleta Biz transitando em alta velocidade, momento em que foi seguida pela guarnição e alcançada nas proximidades da Rua do Comércio.

Ao perceber que a polícia estava no seu encalço, o acusado ainda tentou se livrar da arma, jogando-a fora, mas os policiais perceberam e a mesma foi recuperada e o suspeito detido.

No momento da abordagem, a polícia encontrou com o homem um aparelho celular, que o suspeito confessou ter tomado de assalto minutos atrás. Na delegacia, a mãe do adolescente reconheceu o celular como sendo de seu filho.

Além da moto, de placa OKU 8001 (Salvador-BA), e o celular tomado no assalto, a polícia também apresentou na delegacia o revólver calibre 38, com quatro munições intactas, supostamente usado no crime. (Caetano Silva/Waldyr Silva)

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Polícia prende suspeito da morte de professor em Serra Pelada


A Polícia Civil prendeu em Serra Pelada, distrito de Curionópolis, o indivíduo Janilson Ferreira da Conceição, de 22 anos, suspeito de ter assassinado a facadas o professor de história Flávio Marques Gomes. O crime aconteceu por volta das 5h30 do último domingo (21), em Serra Pelada.

Outro acusado, identificado apenas pelo prenome Caio, está foragido, mas entrou em contato com a Polícia Militar, segundo informou o investigador de Polícia Civil Pedro de Sousa, e disse que vai se entregar após passar o flagrante.

De acordo com a polícia, a vítima apresentava uma perfuração no pescoço e diversos golpes na cabeça. No local do crime foram encontradas duas facas de mesa, provavelmente usadas no crime.

Durante a investigação, a polícia localizou um estudante universitário que conhecia o professor e outro amigo da vítima e os conduziu à delegacia para prestar depoimento.

Segundo ainda o investigador de policia, o avô de Caio procurou o Destacamento da PM em Serra Pelada para dizer que o neto mandou dizer que vai se entregar e que Janilson também tem participação no crime.

Levantamentos preliminares apontam que o crime foi cometido devido cobrança que a vítima fez da droga que teria comprado de Caio. O professor, que seria usuário de drogas, teria comprado oito cabeças de crack e dado um celular do amigo dele, penhorado no valor de R$ 160,00, que seria resgatado nesta segunda-feira (23).

No entanto, ao fazer uso da droga, Flávio Gomes descobriu que se tratava de milho quebrado. Ele, então, procurou Caio para tirar satisfação e exigir o produto verdadeiro. Isso teria gerado bate-boca entre eles, culminando na morte do professor, que foi morto em uma rua deserta de Serra Pelada.

Conforme ainda o policial Pedro de Sousa, a família do professor, que deixa um filho com apenas 15 dias de nascido, informou que já tinha lutado com a vítima para tentar fazê-la largar as drogas. Flávio teria parado por um tempo, mas quando foi lotado em Serra Pelada, após passar em concurso da Prefeitura de Curionópolis, voltou se drogar.

Ouvido pela reportagem, Janilson negou participação no crime, afirmando que estava junto com Caio na hora que o professor voltou exigindo a droga. Os dois teriam saído porque Caio afirmou que a droga estava em outro local. Depois de um tempo, Caio teria voltado sem camisa. Ele afirma que não desconfiou de nada, e que até levou Caio para a casa dele. Só depois ficou sabendo da morte do professor. (Vela Preta/Waldyr Silva)