quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Polícia prende acusado de venda fraudulenta de lotes urbanos

Até esta quarta-feira (28), continuava preso na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas Francisco da Silva, de 33 anos, acusado da venda fraudulenta de lotes falsos no Bairro Tropical e de extorquir a comunidade desde 2012. As investigações da Polícia Civil iniciaram em dezembro e culminaram no mandado de prisão preventiva do acusado.

Ouvida pela reportagem, a delegada Yanna Azevedo informa que foi iniciada uma investigação de documentos comprovando essas denúncias. "Conseguimos um mandado de prisão preventiva, que foi cumprido hoje [quarta-feira], como também um mandado de busca e apreensão, de forma exitosa, e efetuamos a prisão dele”, detalhou.

Segundo ainda a autoridade policial, o acusado disponibilizava títulos para as pessoas que compravam os lotes e que foi comprovada a falsificação do documento. “A gente conseguiu colher as provas e cumprir o mandado de prisão. Também apreendemos material que será analisado por meio de perícia”, frisou Yanna Azevedo.

À reportagem, Francisco da Silva afirmou que quem representa o povo está sujeito a tudo. "Ser apedrejado por um lado e amado por outro". Ele negou qualquer tipo de falsificação de documentos, garantindo que jamais faria uma coisa errada dessas. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Viúva de Jakson diz não conseguir acreditar na partida do marido

Simone Moreira dos Santos, viúva do advogado Jakson de Souza e Silva, 45 anos, presidente da Subseção da OAB em Parauapebas, que foi morto com um tiro de calibre 12 no sábado (24), em Manaus (AM), declarou nesta quarta-feira (28) à reportagem que ainda não consegue acreditar na partida brusca do companheiro dela.

"É muita dor. Quando estou em casa parece que ele [Jakson] vai chegar e entrar. Está sendo muito difícil. Meu filho de três anos está em estado de choque. Grudou no meu cunhado e não aceita mais ninguém”, lamenta Simone Moreira.

Ela lembra que o marido costumava dizer que não tinha medo de nada, que achava que nada aconteceria e que estava sempre despreocupado. Afirma ainda que neste ano o advogado não havia reclamado de ter recebido qualquer comunicado que pudesse ser preocupante.

O corpo de Jakson Silva foi sepultado por volta das 11 horas da última terça-feira (27), no cemitério municipal da Estada Faruk Salmen, no Bairro Vila Rica, Parauapebas. A despedida se deu sob forte comoção e tristeza de amigos, colegas de profissão e familiares.

Ao tomar conhecimento do homicídio, Simone Moreira, que se encontrava em Parauapebas, precisou voar até Manaus para tratar dos trâmites de liberação do corpo.

O velório e o sepultamento do marido foram acompanhados por um mar de gente. "Me assustei quando vi a multidão. Sabia que ele era muito conhecido, porque, independente da OAB, ele sempre foi bem relacionado, tinha muitos amigos e conhecia todo mundo, mas me surpreendi”, declara.

Ela diz que está deixando o acompanhamento das investigações a cargo da polícia e dos advogados do município. “A OAB está acompanhando, pois nesse momento minha família e meus filhos estão precisando de mim”, afirmou. Para ela, apenas a Justiça poderá amenizar um pouco a dor dos familiares. "Não sei em que acreditar em relação a esta morte. Vou esperar a polícia, pois tudo o que quero é que o crime seja apurado e que os responsáveis paguem por isso. Quero que seja feita a justiça e que sejam presos os responsáveis”.

A OAB do Pará e a Secretaria de Segurança Pública de Manaus (AM) determinaram prioridade máxima na elucidação do assassinato. Conforme as investigações preliminares, dois homens, ainda não identificados, em uma motocicleta, utilizaram uma arma de fabricação caseira para matar o advogado, que foi atingido por um disparo no tórax, em via pública. O advogado chegou a ser socorrido, mas não resistiu.

Os familiares de Jakson não sabiam que ele estava na cidade, já que informou que iria a Belém. Ele estaria em Manaus para visitar uma amiga em seu aniversário e levava uma garrafa de vinho importado na mala. O homicídio ocorreu próximo ao apartamento da mulher.

A OAB Pará não vê o crime como um acaso e leva em conta ameaças que a vítima vinha sofrendo. Além disso, afirma que o advogado estava em Manaus a trabalho e que ele havia registrado uma ameaça em 10 de janeiro de 2014, após receber um bilhete enquanto estava em um restaurante de Parauapebas. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Sete assassinatos na região em quatro dias




A região mais uma vez se destaca na preocupante estatística de mortes violentas registradas nos últimos dias. Os crimes ocorreram nos municípios de Parauapebas e Canaã dos Carajás.

Na sexta-feira (23), no Bairro Tropical II, Eduardo Conceição da Cruz foi baleado com sete tiros e encontrado morto pela polícia. Os investigadores foram até o local, mas conseguiram poucas informações sobre o caso. A polícia ficou de procurar a família da vítima para colher depoimentos.

Ainda na sexta-feira, no Bairro Nova Carajás, um homem, até então sem identificação, foi executado com um tiro na cabeça, mas a polícia levantou poucas informações sobre o caso.

Na manhã de sábado (24), Leonardo Rodrigues Carneiro, 25 anos, foi brutalmente assassinado com 12 facadas no Bairro União, em Parauapebas, vítima de tentativa de assalto.

Outro crime foi registrado também no sábado, quando a mulher Irismar Vieira da Silva, 29 anos, foi assassinada com um disparo de arma de fogo desferido pelo próprio marido, José Alves da Silva, de 48 anos, que se encontra foragido.

Por volta das 23 horas de domingo (24), na VS 10, Parauapebas, Danielly Silva Santos foi encontrada morta e estuprada em um matagal nas proximidades da residência dela.

Em Canaã dos Carajás, por volta das 7 horas da manhã de terça-feira (27), no Bairro Vale do Sossego, duas pessoas foram assassinadas à queima-roupa, quando ambas aguardavam transporte para ir ao trabalho num projeto mineral. Jeovani Souza foi alvejado com um tiro por um meliante que se encontrava numa motocicleta Biz de cor vermelha.

Já Keliane Gomes Ferreira, prima de Jeovani Souza, foi atingida pelos disparos, socorrida e encaminhada em estado grave para um hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Jeovani tentou defender Keliane e foi alvejado pelo matador, que namorou Keliane e quando ela descobriu que o mesmo era casado terminou o relacionamento.

A polícia já tem a identificação do matador das duas pessoas acima. Trata-se de Misael Alves Borba, que se encontra foragido. (Vela Preta/Waldyr Silva)

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Corpo de Jakson Silva chega a Parauapebas, será velado na sede da OAB local e enterrado às 10 horas de terça

Jakson Silva

Sede da OAB em Belém
O advogado Jakson Souza e Silva, presidente da Subseção Parauapebas da Ordem dos Advogados do Brasil no Pará (OAB-PA), foi assassinado na noite deste sábado (24) em Manaus, no Amazonas. A diretoria da instituição decretou luto oficial de três dias.

De acordo com informações da OAB-PA, o advogado estava em Manaus a trabalho quando teria sido abordado por dois homens em uma moto que efetuaram um disparo contra o peito dele. O advogado ainda chegou a ser socorrido por populares, que o levaram para um hospital, mas ele não resistiu ao ferimento e morreu.

A suspeita é que o crime tenha sido encomendado, já que os homens fugiram sem levar nenhum pertence da vítima. O corpo de Jakson está previsto para chegar a Parauapebas por volta das 16 horas.

Por decisão da viúva de Jakson, senhora Simone, o velório será realizado na sede da OAB/Parauapebas, que fica localizada na Rua D nº 173, Bairro Cidade Nova.

O enterro está agendado para a manhã desta terça-feira (27) no cemitério municipal de Parauapebas, localizado na Estrada Municipal Faruk Salmen. (Fontes: Bariloche Silva / ORM News)

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Rapaz pede perdão a Deus e se suicida

Rodrigo Sousa Pacheco, de 25 anos, tirou a própria vida na manhã de terça-feira (20), enforcando-se no quarto de casa, no Bairro Tropical II, em Parauapebas. O corpo da vítima foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) de Marabá, que confirmou a causa da morte.

Foi encontrada uma carta de despedida escrita por Rodrigo antes de ele cometer o enforcamento. No texto ele pede perdão a Deus por todas as transgressões e a todas as pessoas que ele já magoou ou para quem fez a algum mal. O suicida manda beijos para a mãe, pai, irmãos, primos tios e amigos, desejando que todos fiquem em paz.

Rodrigo Pacheco afirma no bilhete que preferiu se matar a ver tantos sofrimentos na terra, e faz uma declaração de amor. “Pois morri, mas ainda amo muito, muito mesmo, meu amor. Que você seja feliz, te amo, mozão”, sem, no entanto, nomear a pessoa para quem deixou a frase.

A vítima pede também que seja transmitido um abraço aos patrões e, por fim, diz desejar que todos os políticos vejam o mal que fazem para os pobres e saibam apreciar a classe da mesma forma que apreciam os ricos. "Que tenha paz aí. Desculpe gente, desculpe mesmo”, finaliza. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Médico faz ultrapassagem proibida e provoca acidente com vítimas fatais

Após se apresentar à 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas, na companhia de um advogado, onde foi ouvido no inquérito policial que investiga seu envolvimento na morte de duas pessoas e o ferimento de uma terceira em um acidente de trânsito, o médico boliviano Júlio Miranda Farfan foi condenado a responder em liberdade.

O trágico acidente ocorreu por volta de 7h40 da última terça-feira (20), no km 11 da Rodovia PA 275, em Parauapebas, sentido Curionópolis, próximo ao trevo de acesso ao campus da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra).

De acordo com o delegado Nelson Alves Júnior, titular da Divisão de Homicídios, o motorista de um dos caminhões envolvidos no acidente, Elias Gonçalves de Sousa, de 53 anos, e seu ajudante, Cleber Antonio Batista, 32 anos, morreram após o médico realizar uma ultrapassagem em faixa contínua, o que resultou no acidente envolvendo três veículos.

Além da morte de Elias e Cleber, Roberval Paviotti foi encaminhado ao hospital público de Parauapebas com uma fratura no braço. A empresa para a qual ele trabalha o transferiu em seguida para Goiânia (GO).

Segundo explicaram em Boletim de Ocorrência os policiais rodoviários que estiveram no local das mortes, Júlio Farfan dirigia um veículo Fiat Strada, de placa ONL 4427, em direção a Curionópolis, onde iria atender no hospital local, quando ultrapassou o caminhão Volvo de placa OSX 3143, conduzido por Roberval Paviotti.

Antes de conseguir voltar para mão em que trafegava, o médico encontrou o caminhão Mercedes Benz, de placa HDV 9319, no qual estavam as vítimas fatais. Para não colidir frontalmente com o caminhão, Júlio desviou a picape para fora da estrada, capotando duas vezes e sendo lançado a cerca de 100 metros do ponto onde o acidente ocorreu, sem, no entanto, sofrer ferimentos graves.

Elias Gonçalves, que conduzia o caminhão carregado de tijolos, manobrou o veículo para sua esquerda, evitando colidir com a caminhonete, mas acabou batendo contra o outro caminhão, morrendo na hora, juntamente com o colega. Ambos trafegavam de Eldorado do Carajás para Parauapebas.

Servidores do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves estiveram no local do acidente e removeram os corpos para o Instituto Médico Legal (IML) de Marabá. Os policiais militares fizeram a identificação de duas testemunhas, que tiveram os contatos repassados para a Polícia Civil. Sobreviventes e testemunhas do acidente ficaram de ser ouvidos pela polícia. (Vela Preta/Waldyr Silva)

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Duas adolescentes faziam parte de quadrilha que assaltou motel

A Polícia Militar deteve duas adolescentes e prendeu dois homens por volta das 6 horas de sábado (17) envolvidos em assalto a um motel localizado na Rodovia PA 160, em Parauapebas. As menores de idade foram detidas ainda na portaria do motel, enquanto Josiel da Silva Nascimento e Marcelo Costa da Silva foram presos no interior do estabelecimento. Dois outros envolvidos, não identificados pela polícia, conseguiram fugir.

A guarnição da PM foi acionada pelo rádio e quando a viatura chegou ao local o estabelecimento estava com os portões fechados. Os militares, então, visualizaram o veículo de alguns clientes tentando deixar o local e questionaram se o motel estava sendo assaltado.

Ao receber a confirmação de um dos ocupantes, os policiais perceberam que a proprietária do motel, que vinha sendo mantida como refém, conseguira abrir o portão. Prenderam as duas adolescentes, que perceberam a chegada deles, soltaram a dona do estabelecimento e dois dos suspeitos conseguiram fugir, pulando o muro.

Em seguida, os PMs começaram a revistar os cômodos do motel, até que encontraram Josiel Nascimento e Marcelo Silva, que tentavam deixar o local, utilizando um casal de clientes. Os presos assumiram que estavam na companhia das duas menores de idade, que estariam armadas e com o produto do roubo, que não foi recuperado.

À Polícia Civil, Marcelo Silva, que já possui duas prisões por tráfico de drogas, afirmou que encontrou os demais envolvidos em uma festa e, de lá, todos seguiram para o motel, onde alugaram um quarto e ingeriram bebida alcoólica.

Uma hora depois, ainda segundo Marcelo, um deles pediu a conta, que superou o dinheiro arrecadado entre os quatro homens, momento em que decidiram assaltar o estabelecimento, utilizando um revólver calibre 38.

Josiel Nascimento, que é de Redenção, confirmou a versão do colega de assalto. Os dois foram autuados em flagrante delito por roubo, formação de quadrilha e corrupção de menores. A Polícia Civil não informou à reportagem se o motel poderá ser responsabilizado por ter permitido a entrada das duas adolescentes. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Dois adolescentes assassinados e uma vítima de acidente de trânsito


Equipe de investigadores da Polícia Civil continua buscando informações para esclarecer o assassinato do adolescente Ermerson Thiago Santos Barbosa, de 15 anos, ocorrido na noite de sexta-feira (16), no Bairro dos Minérios em Parauapebas, uma semana após o pai dele, Emilio Sena Barbosa, ter sido preso pela Polícia Militar.

De acordo com o delegado Thiago Carneiro, diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, o menor foi alvejado com disparo de arma de fogo na cabeça. "Instauramos inquérito para apurar a motivação, as circunstâncias e identificar a autoria desse crime, de forma sigilosa, para não prejudicar nosso trabalho, inclusive o envolvimento dele com o mundo do crime", afirmou.

Ao ser preso com 51 petecas de crack, no último dia 10, Emilio (pai de Ermerson) confessou em depoimento à Polícia Civil ser o dono da droga encontrada embaixo de sua cama, no mesmo bairro em que o menor foi morto. Os militares chegaram até ele após seguirem Ermerson, que vinha sendo monitorado por suspeita de envolvimento de tráfico de drogas.

Conforme as informações dos policiais militares, o menor foi visto na rua naquela madruga e passou a ser acompanhado pela guarnição, mas ao chegar em casa teria percebido a presença da viatura policial e saiu correndo. Dessa forma, os PMs chegaram à droga escondida com o pai dele. Em depoimento prestado à Polícia Civil, Emilio negou o uso do filho no comércio, mas disse que talvez o adolescente possa ter pegado alguma peteca escondido para vender.

Outro adolescente
Ainda na última sexta-feira (16), foi morto também outro adolescente, Alexandre Gonçalves Pena, de 17 anos, no Bairro Novo Horizonte, em uma troca de tiros com a Polícia Militar.

À reportagem, o delegado Thiago Carneiro explicou que o menor era suspeito de assaltos e reagiu durante a abordagem policial. "Ele efetuou disparos contra a guarnição, que, não tendo alternativa, se fez necessário sanar a agressão e ele foi alvejado com o disparo, posteriormente vindo a óbito”, relatou.

Acidente de moto
No domingo (18), por volta das 20 horas, um acidente de trânsito ocorrido na Rodovia PA 275, nas proximidades da Rua Lauro Corona, provocou a morte de Antonio Vasconcelos de Souza, ao colidir a motocicleta que ele pilotava contra um caminhão de pequeno porte.

De acordo com o delegado Thiago Carneiro, a Polícia Civil instaurou inquérito para apurar se o motorista do caminhão teve ou não culpa no acidente com vítima fatal. (Vela Preta/Waldyr Silva)

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Vítimas de acidente no MA foram veladas no templo central da Assembleia de Deus


Os corpos das três vítimas evangélicas que morreram no início da noite deste domingo (18), num acidente rodoviário no Estado do Maranhão, ficaram de chegar à cidade por volta das 20 horas desta segunda-feira (19) e ser velados no templo central da Igreja Evangélica Assembleia de Deus Missão, no Bairro Rio Verde, em Parauapebas.

As vítimas fatais são os jovens Keyse Silva Paiva, de 16 anos; Eliabe Oliveira Santos, 21 anos; e Eliezer Pereira da Silva, 26 anos (líder do grupo de jovens). Demais acidentados com ferimentos leves e graves foram levados com vida para hospitais públicos de Açailândia, Bom Jesus das Selvas e de Imperatriz, no Maranhão.

O ônibus, de placa NHD 4333 (Parauapebas), que era conduzido por José Raimundo da Anunciação, trafegava de Vitória do Mearim (MA) para Parauapebas e tombou à altura do km 602 da BR 222, próximo à ponte do Rio Pindaré, nas proximidades do povoado Novo Bacabal, a 26 quilômetros da cidade de Bom Jesus das Selvas. Segundo o motorista, chovia no momento e ao pisar no freio, numa preparação para fazer a segunda curva, à direita, o carro rodou, saiu da pista e tombou.

O grupo de jovens retornava de um evento missionário ocorrido na cidade de Viana (MA), num ônibus e num micro-ônibus alugados.

A reportagem do portal Pebinha de Açúcar conversou pela internet com Gildásio Leão, enfermeiro do Hospital Municipal de Bom Jesus das Selvas.

De acordo com o profissional de saúde, que ajudou no resgate das vítimas, o hospital daquela localidade atendeu cerca de 30 pessoas com ferimentos ocasionados pelo acidente com o ônibus. Seis vítimas foram transferidas para os municípios de Açailândia e Imperatriz em ambulâncias da prefeitura de Bom Jardim das Selvas e do Samu de Buriticupu, entre elas uma garota em estado gravíssimo. (Bariloche Silva/Waldyr Silva)

sábado, 17 de janeiro de 2015

Rapaz é executado com oito tiros

A Polícia Civil continua investigando o assassinato de Rodrigo Mota Sousa, 18 anos, que foi executado por volta das 14h30 da última quinta-feira (16) com diversos tiros em sua residência, na Rua Brilho do Sol, Bairro Palmares II, município de Parauapebas. Conforme informações levantadas pela reportagem, há vários dias um homem estava procurando pela vítima, questionando sobre sua localização aos moradores do bairro.

Essa mesma pessoa teria retornado ao local, acompanhado de outros homens, e batido na porta da casa de Rodrigo, que, ao percebeu que seria morto, tentou fugir, correndo pelos fundos. Os homens, no entanto, o perseguiram e atingiram o primeiro tiro pelas costas, derrubando-o. Em seguida, foram efetuados aproximadamente mais sete disparos de arma de fogo, responsáveis pela morte do rapaz.

De acordo com o investigador Bonfim, da Polícia Civil, a motivação do crime, pelo que se sabe até o momento, seria uma rixa entre Rodrigo e outro morador do bairro, cujo motivo não foi informado. Este homem, no entanto, ainda não foi identificado.

Populares e polícia não souberam informar características físicas dos homens que estiveram na residência da vítima e fugiram logo após efetuar os disparos, nem tampouco do veículo usado pelos bandidos. (Vela Preta/Waldyr Silva)