sexta-feira, 27 de maio de 2016

Envolvido com droga é executado a bala dentro de veículo


O indivíduo Edinaldo Pereira Chaves Filho, 25 anos de idade, foi assassinado com disparos de arma de fogo por volta das 12h30 desta quinta-feira (26) em frente à quadra 186 da Rua N-6, quarta etapa do Bairro Cidade Jardim, em Parauapebas.

A vítima trafegava pelo bairro dirigindo um veiculo modelo Gol, de cor preta, placa JVI 1142 (Parauapebas), levando no banco de carona uma pessoa conhecida apenas por “Belém”, quando foi abordada por dois homens, até então desconhecidos, numa motocicleta Pop vermelha.

Segundo apurou a reportagem junto à polícia, o homem que estava na garupa da moto disparou, primeiramente, três tiros em Edinaldo Filho do lado esquerdo da vítima e depois mais quatro disparos no para-brisa do veículo. Após o homicídio, “Belém” saiu em disparada para avisar a família da vitima e desapareceu da cidade.

Conforme explicou o delegado Jorge Carneiro à reportagem, Edinaldo Filho saíra da cadeia há 15 dias, onde respondia há oito meses por tráfico de droga. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Agricultor é assassinado com dois tiros

O agricultor João Ferreira da Silva, de 62 anos, foi assassinado com dois tiros na cabeça (um atrás da orelha direita e outro na nuca) na Vila Albani, a 65 quilômetros do centro de Parauapebas, zona rural do município de Marabá.

O corpo da vítima foi encontrado por um filho por volta das 23 horas de segunda-feira (23) na área do casebre em que morava sozinha, em sua pequena propriedade.

O filho de João Silva contou que entrou em pânico quando viu o pai morto e saiu correndo, imaginando que o assassino ainda estivesse no local.

De acordo com a delegada Yanna Azevedo, titular da Divisão de Homicídios, pelo cenário do crime tudo leva a crer que o assassino ainda chegou a tomar café com a vítima, antes de executá-la.

A morte do agricultor, que segundo a família era uma pessoa bastante pacata e, aparentemente, não tinha inimigos, causou espanto na comunidade. A única informação que pode ajudar a elucidar o crime é que João Silva teria tido um desentendimento com uma pessoa por conta de posse de terra. Essas informações estão sendo levantadas pela polícia.

Como o crime aconteceu em área de jurisdição de Marabá, o caso será encaminhado para o Departamento de Homicídios da Polícia Civil de Marabá, a cargo da delegada Raissa Beleboni. (Vela Preta/Waldyr Silva)

terça-feira, 24 de maio de 2016

Triângulo amoroso deixa um morto

O envolvimento de dois homens e uma mulher terminou na morte de Adnaldo Cardoso Neres, de 35 anos, natural de Jacundá (PA), no último domingo (22), na Vila Valentim Serra, zona rural de Marabá, limite com o município de Parauapebas.

O principal suspeito de ter cometido o homicídio com um tiro de espingarda é José William, tendo como pivô do crime Paloma Alves de Pereira, de 21 anos, que vivia maritalmente com a vítima.

Em declarações prestadas à imprensa, a acusada contou que a rixa entre os dois começou quando Adnaldo Neres esteve preso no mês passado, suspeito de roubo de moto. No período em que o companheiro esteve encarcerado ela se envolveu com José William, que morava junto com eles. Ao sair da cadeia, Adnaldo descobriu a traição e passou a jurar o rival de morte, sempre que ingeria bebida alcoólica.

Depois de o trio ingerir bebida alcoólica, no último domingo, Adnaldo, movido pelo ciúme, agrediu Paloma Pereira, fato que provocou a ira de William, que aproveitou o momento em que o rival estava dormindo, embriagado, junto de Paloma e desferiu o tiro no peito dele, que veio a óbito no local.

Ainda segundo Paloma, ela acordou assustada com o barulho do tiro e viu William saindo do quarto, enquanto Adnaldo arquejava, dando o último suspiro. Após cometer o crime, William fugiu e até a tarde desta segunda-feira (23) não havia sido localizado. (Vela Preta/Waldyr Silva)

sábado, 21 de maio de 2016

Depois de algemado e preso, assaltante tenta escapar de delegacia

No momento em que se encontrava algemado na delegacia da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, em Parauapebas, Francivaldo Pereira Costa, 20 anos de idade, aproveitou um descuido dos policiais e empreendeu fuga, correndo pela rua, mas foi recapturado.

O suspeito aguardava para ser levado ao Instituto Médico Legal (IML) na manhã da última quarta (18), onde seria submetido ao exame de corpo de delito, para depois ser transferido para a carceragem do Bairro Rio Verde.

A cena inusitada chamou a atenção de pessoas curiosas, que acompanharam a perseguição dos policiais para tentar recapturar o fujão. Francivaldo foi interceptado pelo investigador Almeida, após tropeçar e cair, batendo a boca no cimento, o que causou um ferimento que o fez sangrar bastante.

Ele havia sido preso pela Polícia Militar na tarde anterior, terça-feira (17), acusado de ter assaltado uma estudante e subtraído o aparelho celular dela. Segundo a polícia, a própria estudante o reconheceu horas depois do crime, às proximidades da escola onde estuda, porque ele estava com o celular dela nas mãos.

Ao ser abordado, ele tentou negar o crime e deu nome falso, dizendo que se chamava Rodrigo Lopes Costa. Já na delegacia, um parente dele levou o documento de identidade, que comprovou que ele, na realidade, se chama Francivaldo Pereira Costa.

À polícia, o acusado admitiu que assaltou a estudante e roubou o celular dela porque estava sem aparelho telefônico. Afirmou que trabalha como ajudante de serviços gerais, quando aparece serviço, e que é usuário de maconha. (Vela Preta/Waldyr Silva)

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Quatro milhões de acessos!

Este blog chega à marca histórica de 4.000.000 de acessos nestes cinco anos de existência, graças a você, visitante, que vem acompanhando o noticiário policial nele publicado.

Com a marca alcançada, agradecemos a todos os internautas que contribuíram com suas visitas.

Vela Preta e Waldyr Silva

Homem é vítima de latrocínio

No momento em que era assaltado por dois bandidos, Manoel Carlos Silva foi alvejado com dois tiros e morreu pouco depois de dar entrada em um hospital particular de Parauapebas. O latrocínio aconteceu por volta de 19h30 do último sábado (14),

Francisco de Siqueira da Silva, amigo de Manoel Carlos, também alvejado a tiro, foi operado e não corre risco de morte.

Um amigo das vítimas, que pediu para não ser identificado, informou que Manoel e Francisco estavam sentados e conversando na frente da casa de Manoel, na Rua Aurélio Dias, Bairro Bela Vista, próximo à VS-10, aguardando a esposa de Manoel se arrumar com as crianças para irem passear em uma praça, quando foram abordados por dois homens que chegaram numa motocicleta.

Segundo ainda a testemunha, o assaltante que vinha na garupa sacou uma arma e exigiu que as vítimas entregassem os aparelhos celulares. Desceu da moto e caminhou primeiro em direção a Manoel, para tomar o celular. Após subtrair o aparelho, o assaltante também exigiu a carteira com dinheiro.

Manoel, então, se levantou para tirar a carteira do bolso, momento em que foi atingido por um disparo de arma de fogo. Mesmo ferido, ele conseguiu segurar o assaltante, mas foi alvejado mais duas vezes. Um dos tiros acabou atingindo Francisco Silva. O assaltante ainda tentou efetuar mais dois disparos, mas a arma falhou. Após praticar o crime, a dupla empreendeu fuga.

Francisco e Manoel foram levados de carro para um hospital particular, mas Manoel não resistiu aos ferimentos e veio a óbito, enquanto Francisco foi transferido para o Hospital Municipal de Parauapebas, submetido à cirurgia e se encontra fora de risco. (Vela Preta/Waldyr Silva)

terça-feira, 10 de maio de 2016

Três mortes no final de semana


O município de Parauapebas foi palco mais uma vez de um final de semana violento, com o registro de três mortes. As vítimas são Marcondes Pereira da Silva, encontrado morto nas águas do Rio Parauapebas; José Nilson Saraiva Davi, executado com disparo de arma de fogo; e Robson Pereira Costa e Silva, morto em acidente de trânsito.

A morte de José Nilson foi motivada após uma confusão envolvendo o empréstimo de um simples pen drive. A vítima foi baleada na rua conhecida como Invasão do Juarez, em Palmares Sul, na tarde da última sexta-feira (6).

José Nilson chegou a ser socorrido e encaminhado ao Hospital Municipal de Parauapebas, onde morreu já na madrugada de sábado (7). O acusado, identificado até o momento apenas como Cleiton, fugiu logo após cometer o crime.

"Meu padrasto estava no barraco dele quando o rapaz [Cleiton], que tinha pegado o pen drive, passou e Nilson chamou e cobrou o pen drive. O rapaz saiu e voltou já armado com uma espingarda ‘por fora’, efetuou o tiro no abdome do meu padrasto, que acabou morrendo no hospital”, explica Hélio Tavares Lima.

"Quando ele efetuou o tiro eu ainda corri uns 150 metros, peguei ele e deitei ele no chão, mas o irmão dele pegou um facão e tentou me cortar, aí eu soltei e ele fugiu”, relembra Hélio Lima, acrescentando que o acusado é bastante conhecido no bairro e considerado pessoa perigosa.

Boiando no rio
O corpo do vaqueiro Marcondes Silva foi encontrado por pescadores boiando no rio na manhã desta segunda-feira (9) à altura da Vila Cedere I, próximo de onde ele havia sido visto pela última vez.

De acordo com José Rodrigues, que mora próximo à propriedade onde Marcondes trabalhava, ele o viu pela última vez por volta das 18h30 de sábado (7), pescando em companhia de outros três colegas.

"Ele estava jogando tarrafa para pegar isca e poder pescar peixes maiores à noite. Fui embora e ele ficou lá com os outros rapazes. Quando cheguei de manhã recebi a notícia de que ele tinha sumido", informou José Rodrigues, acrescentando que os amigos que permaneceram em companhia de Marcondes relataram que ele saiu do local de canoa, afirmando que iria embora.

A canoa em que o vaqueiro estava não foi encontrada e não se sabe o que fez com que ele caísse e se afogasse. O Corpo de Bombeiros fez a retirada do corpo de dentro da água.

Acidente de trânsito
A morte do motociclista Robson Silva ocorreu na noite da última sexta-feira (6), ao chocar-se com um ônibus da empresa JSL conduzido pelo motorista Francisco de Assis Falcão, que após o trágico acidente se apresentou na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, em Parauapebas, prestou depoimento e foi liberado em seguida.

Em declarações prestadas à reportagem, Francisco de Assis informou que estava iniciando sua rota, por volta das 22 horas, no Bairro Brasília, final da VS-10, quando ocorreu o acidente, segundo ele, num local bastante escuro, devido à falta de iluminação pública.

"Quando eu estava saindo vinha um motoqueiro de farol aceso na minha direção e eu esperei ele passar. Olhei para o outro lado, não vi ninguém e saí, quando esse outro vinha em alta velocidade, sem farol e sem capacete. Ele colidiu violentamente contra a lateral do ônibus que balançou todo o veículo", relata Francisco de Assis.

O motorista acrescenta que na mesma hora ele acionou os órgãos competentes, a garagem da empresa, polícia, departamento de trânsito e Corpo de Bombeiros, e em seguida se apresentou na delegacia.

O Instituto Médico Legal de Parauapebas removeu o cadáver já na madrugada de sábado (7) e colheu material para que seja feito o exame de dosagem alcoólica, que vai confirmar se a vítima havia ingerido bebida ou não. (Vela Preta/Waldyr Silva)

segunda-feira, 9 de maio de 2016

PM rastreia ladrões e os coloca na cadeia

Encontram-se presos à disposição da Justiça, acusados de praticarem roubo em Parauapebas, os indivíduos Sander Cristiano da Cunha, 23 anos; Murilo Mendes de Oliveira, 26 anos; Victor Sales Lopes, 23 anos; e Wallan Lucas Batista dos Santos, de 23 anos. A Polícia Militar chegou até a quadrilha após um aparelho Iphone, roubado pelos assaltantes, ser rastreado pelo proprietário.

De acordo com o tenente PM Dias, na noite de sexta-feira (6) a central de monitoramento de Parauapebas informou à PM que um arrastão havia acabado de acontecer em um estabelecimento que comercializa espetinho no Bairro Parque dos Carajás. A guarnição foi ao local e colheu informações acerca dos assaltantes e também foi informada que, dentre os celulares roubados, estava o Iphone, da Apple.

A guarnição foi informada que dois elementos chegaram numa motocicleta Honda Titan preta ao estabelecimento armados com duas pistolas, armas semelhantes às usadas pela polícia, de capacete e capuz, e fizeram o arrastão nos clientes.

Segundo ainda o tenente, ele deixou o seu contato com o proprietário do Iphone, que informou ter como rastrear o aparelho, e as viaturas da Polícia Militar iniciaram diligências para tentar localizar suspeitos.

"Cerca de duas horas depois, a vítima fez contato comigo e passou o local onde estava o Iphone roubado. Pedimos apoio do GTO [Grupo Tático Operacional] e mais uma viatura, e conseguimos encontrar o local exato. Fizemos o cerco na residência e encontramos quatro pessoas com o material roubado", relatou.

Os policiais militares encontraram na residência alugada pelos suspeitos armas, munições, uma moto e vários uniformes de empresas que prestam serviços. O veículo utilizado no arrastão não estava no local, levando a crer que tenha mais gente envolvida.

A polícia acredita que a quadrilha seja responsável por vários crimes nos quais os autores eram vistos nessas roupas, o que será investigado. Procurados, os acusados não quiseram falar com a imprensa. (Vela Preta/Waldyr Silva)