terça-feira, 15 de abril de 2014

Ainda repercute em Eldorado do Carajás brutal assassinato de gerente de loja


A população de Eldorado do Carajás continua perplexa com o brutal assassinato de Eliane Macedo Barros, 25 anos, mãe de dois filhos e gerente de uma loja de confecções na cidade. O crime ocorreu por volta das 22 horas de domingo (13) dentro da residência da vítima, localizada na Rua Cardoso, Setor Km 100, em Eldorado do Carajás.

De acordo com levantamento preliminar da Polícia Civil, figura como principal suspeito de ter cometido o assassinato o sujeito Wilton Pereira Tavares, ex-marido de Eliane Barros.

A vítima teve várias perfurações de arma branca pelo corpo, provavelmente feitas por tesoura, cuja arma foi encontrada pela polícia ao lado do cadáver. Foram apreendidos também no local do crime vários preservativos (camisinhas) usados.

Um vizinho da vítima, que pediu para não ser identificado, disse ter visto quando o suposto assassino saiu da casa da gerente tranquilamente, como se nada tivesse acontecido. Ele acrescenta que quando a mulher estava sendo humilhada antes de morrer pedia muito para que o assassino não a matasse. Jornal Tablóide. (Salem Campos/Waldyr Silva)

domingo, 13 de abril de 2014

Polícia prende no Maranhão e traz a Parauapebas homem acusado de estupro

Já se encontra recolhido na carceragem municipal do Rio Verde, em Parauapebas, desde sábado (12), o sujeito Samuel Cruz dos Santos, 28 anos, acusado pela polícia de praticar estupro contra várias mulheres desta cidade.

Samuel Cruz estava foragido da Justiça de Parauapebas desde 19 de novembro do ano passado, data em que fugiu da cadeia pública do município, segundo a polícia, com a ajuda de um agente prisional, que se encontra preso em Belém.

O foragido foi recapturado por agentes de inteligência do Pará e do Maranhão na cidade maranhense de Grajaú, onde estava envolvido em assaltos a bancos e a residências naquela região, entre outros crimes.

A transferência do preso, do Maranhão para Parauapebas, foi feita por duas viaturas da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe), com apoio de policiais militares dos estados do Maranhão e do Pará, sob o comando da diretora da unidade da Susipe de Parauapebas, Nilcelia Sousa da Silva.

De acordo com levantamento da Polícia Civil, Samuel Cruz é acusado de ter estuprado 19 mulheres no Bairro Cidade Jardim, em Parauapebas, uma delas vindo a óbito por infecções. Por esses crimes, ele foi preso em maio e fugiu da cadeia em novembro de 2013.

Antes de ir para o mundo do crime, de acordo ainda com a polícia, Samuel havia trabalhado numa grande empresa mineradora e montado um estabelecimento comercial no Bairro Liberdade, em Parauapebas. Jornal Tablóide. (Waldyr Silva)

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Assaltantes reagem ao comando da polícia e são alvejados

Dois suspeitos de ter acabado de assaltar uma ótica localizada na Avenida do Comércio, Bairro Rio Verde, em Parauapebas, por volta de meio-dia da última terça-feira (8), reagiram às ordens de uma guarnição da Polícia Militar, foram atingidos por disparos de arma de fogo, encaminhados ao hospital municipal e morreram. As vítimas são os indivíduos Jucivaldo Medeiros da Silva e Genilson de Souza Silva.

De acordo com o que apurou a reportagem junto à polícia, minutos após a dupla ter praticado o assalto à loja de produtos óticos, o fato foi comunicado ao comando do 23º Batalhão de Polícia Militar e imediatamente uma guarnição correu para o local do crime.

Ao chegar à ótica, onde os assaltantes teriam furtado dinheiro e aparelhos de celular dos funcionários da loja e fugido numa motocicleta, os PMs obtiveram informações sobre as características dos acusados e saíram em captura da dupla, na direção apontada por testemunhas.

Os dois suspeitos foram localizados na esquina da Avenida Tocantins com a Rua 24 de Março. Ao perceber a viatura policial, segundo ainda a polícia, Jucivaldo Medeiros sacou de uma arma de fogo e disparou quatro vezes na direção da guarnição, que se defendeu, efetuando tiros e acertando Genilson de Souza, nas nádegas, e este caiu ao chão.

Ao perceber que o companheiro de crime havia sido atingido pelos disparos dos policiais, Jucivaldo pulou o muro para um terreno baldio, para a Rua Amazonas, voltou a disparar contra os policiais, mas foi atingido com três tiros no braço esquerdo, nas costas e no peito.

A polícia apreendeu em poder de Jucivaldo Medeiros um revólver calibre 38, cinco aparelhos de celular que estavam dentro de uma sacola verde e 74 reais em espécie. Jornal Tablóide. (Vela Preta/Waldyr Silva)

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Homem preso acusado de furtar moto e vender por cem reais

A polícia prendeu na tarde da última quinta-feira (3), em Parauapebas, o indivíduo Wilson Moraes, 31 anos, acusado de ter furtado uma motocicleta dois dias atrás num balneário localizado às margens do complexo de bairros da VS 10, zona urbana do município.

Segundo informações colhidas junto ao delegado de plantão Nelson Alves Júnior, depois que furtou a moto Wilson Moraes a vendeu por apenas R$ 100 para um rapaz na Vila Três Voltas, zona rural do município de Marabá.

Na sexta-feira (4), o acusado, que confessou o furto, foi conduzido por policiais civis até a vila onde vendeu o produto roubado, para localizar o receptador e a polícia conduzi-lo à delegacia para prestar depoimento e ambos serem colocados à disposição da Justiça, por furto e receptação. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quinta-feira, 27 de março de 2014

Suspeito reage à abordagem da polícia e leva chumbo

Ao ser solicitado por uma guarnição da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam), da Polícia Militar, o suspeito Fábio Vieira Estevão, 32 anos, reagiu e foi baleado mortalmente pelos policiais.

O confronto ocorreu na noite da última terça-feira (25) nas proximidades do Morro 
Alto Bonito, Bairro Casas Populares I, em Parauapebas. A vítima chegou a ser socorrida e encaminhada ao hospital municipal, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

À reportagem, o soldado PM Jonathan explicou que a guarnição da Rocam estava fazendo policiamento ostensivo na área quando presenciou Fábio Estevão em atitudes suspeitas. “Anunciamos a abordagem, afirmando que era a polícia, orientamos ele a colocar as mãos na cabeça, mas ele puxou uma arma e a guarnição fez dois disparos contra ele, que infelizmente veio a óbito”, detalha o policial militar.

Segundo o delegado Nelson Alves Júnior, a Polícia Civil ouviu testemunho dos policiais militares integrantes da guarnição da Rocam e estava levantando nomes de eventuais testemunhas que tenham presenciado o confronto que resultou na morte de Fábio Estevão.

Segundo o delegado, a vítima tinha uma passagem pela Delegacia Especializada ao Atendimento à Mulher (Deam), por ter agredido a companheira dele, Adriana Graciana Sousa. Jornal Tablóide. (Vela Preta/Waldyr Silva)

terça-feira, 25 de março de 2014

Parauapebas registra três mortes no final de semana

A polícia de Parauapebas registrou três mortes neste final de semana, duas delas com disparos de arma de fogo na zona urbana do município e a outra por acidente de motocicleta na zona rural de Marabá, na região conhecida por “Área do Contestado”.

De acordo com o que apurou a reportagem junto ao delegado Nelson Alves Júnior, as vítimas são Antônio Rodrigues de Oliveira, conhecido por “Neném”, assassinado em plena luz do dia no último sábado (22) nas imediações da Feira do Produtor, num local chamado “Pé Inchado”, Bairro Cidade Nova; Luís Soares da Silva, 51 anos, executado a bala na noite de sábado em seu estabelecimento comercial na Rua N, Bairro União; e José Raimundo Silva, morto na localidade Brasil Novo, zona rural do município de Marabá.

Segundo a autoridade policial, Antônio Rodrigues tinha sido preso na semana passada suspeito de envolvimento num recente esfaqueamento ocorrido nas proximidades da Feira do Produtor.

O delegado acrescenta que Antonio Rodrigues era envolvido em consumo e tráfico de drogas e era alcoólatra. A polícia acha que ele foi assassinado por acerto de conta por falta de pagamento de drogas.

“O pistoleiro passou de moto, desceu e executou a vítima. Segundo a família dele, Antonio Rodrigues teria assassinado um policial militar em Jacundá, mas estamos apurando esta denúncia. É possível também que o nome dele seja Ezequiel”, comentou Nelson Júnior.

No local do crime ninguém quis ou não soube informar as características do assassino, nem tão pouco da moto usada pelo mesmo. Disseram apenas que um indivíduo em uma moto deu várias voltas no quarteirão, provavelmente procurando a vítima.

Comerciante
No caso do comerciante Luís Soares da Silva, 52 anos, o delegado Nelson Júnior explica que a família da vítima foi ouvida nesta segunda-feira (24) para ajudar a polícia e desvendar o crime.

Segundo Rossâna Pimentel da Silva, 47 anos, esposa da vítima, o marido dela se encontrava nos aposentos da residência, onde funciona um pequeno comércio de água mineral, quando um suposto cliente bateu à porta e foi atendido por um filho do casal, dizendo que queria falar com o proprietário. Chamado para atender ao cliente, Luís Soares foi executado com três disparos de arma de fogo dentro de casa.

“Ao ouvir os tiros, corri pra ver o que havia acontecido e encontrei meu marido de joelho com duas perfurações de bala no peito”, lamentou a viúva, acrescentando que não tem conhecimento de que o esposo dela tivesse recebido alguma ameaça ou se estava envolvido com algo ilícito.

Sobre a morte de José Raimundo Silva, na vila Brasil Novo, município de Marabá, o delegado explicou apenas que a vítima pilotava uma motocicleta e se acidentou mortalmente e o caso foi encaminhado para a jurisdição onde o caso aconteceu, Marabá. Jornal Tablóide. (Vela Preta/Waldyr Silva)

quinta-feira, 20 de março de 2014

Acusado de tráfico de droga reage à prisão e é morto pela Polícia Militar

Ao ser abordado por uma guarnição da Polícia Militar, no início da noite de terça-feira (18), na Rua Teotônio Vilela, Bairro Liberdade, em Parauapebas, o suspeito Everson Ramos Carvalho, 30 anos, reagiu, disparou contra os policiais e foi atingido mortalmente.

Segundo informou à reportagem o delegado Thiago Carneiro, a Polícia Militar foi informada em ligação anônima pela comunidade que algumas pessoas estariam comercializando droga no endereço citado acima.

Ao chegar ao endereço, de acordo ainda com o delegado, a guarnição do Grupo Tático de Operações da PM se deparou com Everson Carvalho, que, ao perceber a presença da polícia, tirou uma arma de fogo da cintura e disparou contra os policiais, que reagiram ao ataque e atiraram na direção do acusado, atingindo-o. A polícia apreendeu um revólver, munições e petecas de crack em poder da vítima.

A reportagem apurou que Everson Carvalho já tinha passagem pela polícia em envolvimento com tráfico de drogas. No início de setembro de 2012, ele foi preso na companhia de Carlos Alberto Chaves, 21 anos; e Antonia Cleonete Oliveira, 35 anos, portando porções de maconha e de crack.

Outra versão
Ainda em prantos na delegacia, Conceição Oliveira, grávida de oito meses, esposa da vítima, disse à imprensa que o marido dela foi executado por dois homens, um com farda da Polícia Militar o e outro à paisana.

“Eles invadiram o portão da casa, dispararam contra meu marido, me chamaram de vagabunda e bateram em minha cara”, declarou a viúva, assegurando que o marido dela não andava fazendo nada de errado.

Procurado para falar sobre o assunto, o novo subcomandante do 23º Batalhão da Polícia Militar, major Saraiva, confirmou o confronto entre a vítima e a PM, com a morte do civil, e prometeu apurar a denúncia feita pela mulher da vítima, de que a guarnição teria executado Everson Carvalho. Jornal Tablóide. (Vela Preta/Waldyr Silva)