sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Governo evita paralisação da Polícia Militar e dos Bombeiros do Pará


O Governo do Pará evitou nesta quinta-feira (19) que a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros Militar paralisassem suas atividades. Após mais de 10 horas de reunião, no Centro Integrado de Governo (CIG), a categoria aceitou as propostas apresentadas pelo governo, que concedeu reajustes que variam de 18% a 26% aos salários dos policiais militares.
Por volta das 21 horas, a decisão de não paralisar os serviços da PM foi anunciada pelos diretores das várias associações represen-tativas da PM e dos Bombeiros: Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e do Bombeiro Militar (Acsombmpa); Associação dos Subtenentes e Sargentos da Polícia Militar (Assubsarpm); Asso-ciação dos Subtenentes dos Bombeiros (Assbm/PA); Associação dos Militares da Reserva Remunerada (Aspomire), e Associação de Policiais Militares, Bombeiros Militares e Familiares (Aspol).
O Governo do Estado concedeu ainda intersídio de 5% para os praças, ganho de 70% sobre a gratificação de risco de vida e ganho real de 7%. Também ficou definida a permanência da mesa de negociação com a categoria, a fim de discutir outras reivindicações dos militares do Estado, como o prazo de implantação da jornada de trabalho para 40 horas semanais; o adicional de interiorização e o auxílio fardamento para cabos e soldados, além de mais 30% na gratificação por risco de vida.
Todas essas reivindicações serão discutidas na mesa de negociação, considerando sempre as condições financeiras do estado.
O governo foi representado na negociação pela secretária de Estado de Administração, Alice Viana; pelo secretário de Estado de Segu-rança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha; pelo comandante geral da Polícia Militar, coronel Daniel Mendes; e pelo comandante geral do Corpo de Bombeiros, coronel Hegésipo Donato.
Assim como fez com os profissionais de educação, o governo priorizou o diálogo com os policiais e bombeiros militares, a fim de garantir o atendimento às reivindicações da categoria e, princi-palmente, manter o sistema de segurança pública funcionando sem anormalidades. (Fonte: Agência Pará de Notícias)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário